Acidentes representam quinta causa de morte entre idosos

22 agosto 2016 | Postado por Casinha da Cys

cuidado com idosos
No Brasil, cerca de um terço dos atendimentos de emergência por trauma no Sistema Único de Saúde (SUS) envolvem pessoas com mais de 60 anos de idade. Além disso, os acidentes representam a 5ª causa de morte entre idosos, sendo as quedas os mais corriqueiros. “As lesões mais comuns relacionadas a quedas são hematomas e arranhões e, em alguns casos, lesões que necessitem de sutura. As complicações mais graves são fraturas e traumatismo craniano”, alerta a médica geriatra do Hospital Esperança Olinda Karla Nascimento Soares. 
Segundo a profissional, cerca de um terço dos idosos com mais de 65 anos tem algum episódio de queda pelo menos uma vez ao ano. Entre aqueles com mais de 80 anos, esse tipo de acidente pode chegar a até 50%. As quedas geralmente ocorrem em casa. Principalmente à noite, no trajeto entre o quarto e o banheiro.
O idoso pode apresentar também deformidades, dor crônica e depressão. “Em longo prazo, pode ocorrer maior frequência de hospitalizações, perda da independência e maior mortalidade”, alerta Karla Nascimento. 
As causas das quedas geralmente envolvem múltiplos fatores que podem interferir na atenção, postura, equilíbrio e na forma de caminhar do idoso, a exemplo do uso de medicações como sedativos e hipnóticos, quadros demenciais e história anterior de acidente vascular encefálico (AVE). “Além disso, idosos com distúrbios visuais e auditivos deverão ser tratados para melhorar a atenção e orientação”, completa a médica. 
“A forma mais efetiva para auxiliar na prevenção de acidentes é tornar o ambiente doméstico mais seguro para os idosos, assim como os grandes espaços públicos da cidade”, explica Karla Nascimento. Durante uma consulta com o geriatra, esse idoso pode ainda passar por uma revisão dos medicamentos que utiliza e que podem contribuir para a ocorrência de quedas. Deve ainda ser avaliado, quando indicado, com relação ao risco de osteoporose e tratado quando necessário. “Além disso, é recomendado que os pacientes mantenham uma dieta rica em nutrientes e com suplementação alimentar, se necessário, para garantir o peso ideal e o aporte necessário de proteínas”, diz a geriatra, que ressalta a importância da suplementação com vitamina D, uma vez que idosos com deficiência desta vitamina têm risco elevado de perda de força e massa muscular. 
Segundo a geriatra, a prática de exercícios na terceira idade é bastante recomendada para diminuir o risco de lesões e acidentes. “O idoso deverá intercalar exercícios para melhorar a flexibilidade e o equilíbrio (como o tai chi chuan, dança ou pilates) com exercícios de resistência para fortalecer a musculatura e evitar a perda de massa muscular”, orienta Karla Nascimento.

Atendimento 
– O idoso caiu. E agora? 
O primeiro passo é manter a calma e avaliar se há alguma lesão ou sangramento. O idoso deverá levantar com auxílio de outra pessoa e devagar. Caso esteja sozinho, deverá tentar apenas quando se sentir bem e disposto. “Devemos evitar movimentar de forma excessiva, e, em casos mais graves, não movimentar o idoso até a chegada de profissional paramédico ou médico”, explica Karla Nascimento Soares. 
“Se houver ferimentos, lavar com água ou soro fisiológico e não colocar nenhuma outra substância. Em caso de sangramento importante comprimir o local com pano limpo”, explica a médica. Ela diz ainda que não se devem utilizar medicações sem prescrição médica e evitar usar compressas quentes, que aumentam o sangramento e a inflamação do local. “Na presença de qualquer lesão, dificuldade de movimentar uma parte do corpo, dor, perda de consciência ou sonolência excessiva, o familiar ou cuidador deverá se dirigir a uma unidade de emergência imediatamente. Se não houver possibilidade de levar o idoso ao hospital, deve acionar o serviço de ambulância, que pode ser o Samu ou Corpo de Bombeiros – que respondem pelos telefones 192 e 193, respectivamente”, orienta. 
“O principal ponto que devemos pensar é que a maioria dos acidentes ocorre de forma inesperada e pode acontecer com qualquer idoso”, afirma a geriatra Karla Nascimento Soares. “Muitas vezes, ter consciência de suas limitações e a mudança de hábitos são as etapas mais difíceis para auxiliar na prevenção”, completa.

Como prevenir acidades em casa
Algumas mudanças podem ser benéficas e auxiliar na prevenção de acidentes no ambiente doméstico.

– Toda casa deve ser um ambiente acessível para o idoso, bastante iluminado e com interruptores de fácil acesso;
– Fazer uso apenas de medicamentos prescritos pelo médico;
– Os medicamentos devem estar longe do alcance de idosos com demência para evitar intoxicações;
– Eliminar mobília excessiva para facilitar a locomoção inclusive de idosos que utilizem dispositivos como andadores, cadeira de rodas ou bengalas;
– Utilizar gavetas que deslizam;
– Uso de corrimãos em corredores e escadas;
– Evitar tapetes e, quando possível, usar pisos antiderrapantes;
– Não fazer uso de chinelos ou sandálias mal adaptadas. Optar por calçados estáveis e antiderrapantes;
– Optar por torneiras tipo alavanca ou com sensor de movimento;
– Usar barras de segurança próximo ao vaso sanitário e box, para auxiliar na higiene e no banho;
– Ter telefones de emergência de fácil acesso (familiares, vizinhos, Samu e Corpo de bombeiros). 

Como prevenir acidades na rua
Também é possível tomar alguns cuidados em ambientes urbanos, onde os recursos e estrutura para garantir a acessibilidade dependem de órgãos públicos e privados.

– Sair de casa com documentos pessoais, a carteira do plano de saúde (quando possuir) e o número de contato de emergência;
– Trafegar por calçadas e áreas bem conservadas sem declives ou depressões. De preferência; com pisos não escorregadios;
– Priorizar rampas ao invés de escadas;
– Dar preferência ao uso de elevadores ao invés de escadas e esteiras rolantes;
– Caminhar em locais bem iluminados. Se possível, evitar sair sozinho durante o período noturno;
– Realizar travessias nas ruas apenas em locais sinalizados, na faixa de pedestres;
– Fazer uso de calçados confortáveis com estabilidade e bem ajustados;
– Pessoas com déficit auditivo e/ou visual devem usar sempre aparelhos auditivos, óculos ou lentes;
– Utilizar dispositivos de auxílio para locomoção quando indicados, como por exemplo: cadeira de rodas, andador, bengalas;
– Idosos com limitação física e cognitiva devem estar sempre acompanhados por outra pessoa;
– Caso necessite de transporte público, não hesitar em pedir ajuda para entrada e saída.









0 Comentários | Compartilhe este post | Marcadores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Colocamos sempre imagens para ilustrar nossas postagens, algumas imagens (fotos) são nossas, outras são dos locais que usamos como inspiração para nossos textos, mas que são creditados e há imagens também postadas aqui no blog de fontes diversas da Internet. Portanto, se alguma das imagens publicadas for de sua autoria e deseja que seja retirada ou que seja mencionada a fonte da imagem, entre em contato através do email: casinhacys@gmail.com, para que seja resolvida a questão da retirada da imagem ou publicado o nome do autor da imagem.
BLOG CASINHA DA CYS | TECNOLOGIA BLOGGER | COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA