Dia Mundial de Luta Contra às Hepatites Virais

28 julho 2015 | Postado por Casinha da Cys

Julho amarelo Dia Mundial de Luta Contra às Hepatites Virais
Nesta terça-feira (28) é o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais. As hepatites podem ser decorrentes de diversas causas, como infecções, medicamentos, doenças metabólicas e doenças genéticas.  No entanto, as mais comuns são as hepatites virais – provocadas por vírus, como o próprio nome sugere. Elas são classificadas em A, B, C, D e E. No Brasil, as mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. “Todos os tipos são identificados por exame de sangue específico e o tratamento varia de acordo com as características do paciente e evolução da doença”, explica Moacir Jucá, infectologista do Hospital Esperança Olinda. Hepatites B e C são as mais perigosas e silenciosas. O Ministério da Saúde estima que 14 milhões de pessoas já tiveram contato com o vírus da hepatite B e que a hepatite C é a principal causa de doença crônica do fígado. A hepatite A é transmitida por via fecal-oral, normalmente pelo contato com água ou alimentos contaminados. As melhores formas de prevenção são saneamento básico e higiene no preparo dos alimentos. Também há vacina disponível na rede particular de saúde. “A maioria das pessoas elimina o vírus naturalmente e quase não apresenta sintomas. Quando surgem, os mais comuns são cansaço, tontura, dor abdominal, urina escura e fezes claras”, relata o infectologista.
A hepatite B é considerada uma doença sexualmente transmissível. O vírus está presente no sangue, no esperma e no leite materno. As formas de contágio são: relações sexuais sem camisinha com pessoa infectada; da mãe infectada para o bebê durante a gestação, parto ou amamentação; ao compartilhar material para uso de drogas, de higiene pessoal ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings; e ainda por transfusão de sangue contaminado. Para a prevenção, recomenda-se o uso de preservativo em todas as relações sexuais; não compartilhar objetos de higiene pessoal e material de manicure e pedicure; e a vacina, que é disponível em três doses, nas redes pública e particular de saúde. Além disso, toda grávida precisa fazer o pré-natal, onde constam exames para detectar a hepatites, aids e sífilis. Geralmente, o organismo apresenta cura em cerca de seis meses após o início do tratamento.
Julho Amarelo Dia Mundial de Luta Contra às Hepatites Virais
Ao contrário da hepatite B, não há uma vacina capaz de prevenir a hepatite C. A doença é transmitida através do contato com sangue contaminado e é comum entre usuários de drogas que compartilham seringas, agulhas e outros materiais. Também pode ser transmitida por transfusão de sangue, da mãe para o bebê (mesmos casos da hepatite B) e, mais raramente, pelo sexo sem preservativo – quando há sangramento. Quando a infecção pelo vírus C persiste por mais de seis meses – o que é comum em até 80% dos casos – caracteriza- se a evolução para a forma crônica. Cerca de 20% dos pacientes infectados cronicamente podem evoluir para cirrose hepática e de 1% a 5% para câncer de fígado. “O tratamento depende do tipo do vírus e do comprometimento do fígado”, conta Dr Moacir Jucá.
A hepatite D depende da presença do vírus do tipo B para infectar o indivíduo. A gravidade da doença irá depender do momento da infecção e pode ocorrer ao mesmo tempo que a contaminação pelo vírus B ou em portadores da hepatite B crônica – que persiste por mais de seis meses. As formas de prevenção são idênticas as da hepatite B, incluindo a vacina aplicada em três doses.
Já a hepatite E tem características semelhantes à hepatite A, incluindo as formas de contágio. É mais comum na África e na Ásia e está constantemente associada às precárias condições de saneamento básico. Também não existe vacina e a principal prevenção é a higiene. 



Texto: Lidiane Dias – Brava Comunicação. 
Imagens: Reprodução/Internet.
0 Comentários | Compartilhe este post | Marcadores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Colocamos sempre imagens para ilustrar nossas postagens, algumas imagens (fotos) são nossas, outras são dos locais que usamos como inspiração para nossos textos, mas que são creditados e há imagens também postadas aqui no blog de fontes diversas da Internet. Portanto, se alguma das imagens publicadas for de sua autoria e deseja que seja retirada ou que seja mencionada a fonte da imagem, entre em contato através do email: casinhacys@gmail.com, para que seja resolvida a questão da retirada da imagem ou publicado o nome do autor da imagem.
BLOG CASINHA DA CYS | TECNOLOGIA BLOGGER | COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA