Casinha da Cys: Dia Internacional de Prevenção à Violência Sexual Contra Criança e Adolescente

19 novembro 2012

Dia Internacional de Prevenção à Violência Sexual Contra Criança e Adolescente


19 de novembro 
Dia Internacional de Prevenção à Violência Sexual Contra Criança e Adolescente 
Um dos assuntos mais vinculados na mídia é referente à violência que crianças vêm sofrendo. A violência física é um absurdo. Entretanto, a violência psicológica que deixa marcas para o resto  da vida, principalmente se  a criança não for acompanhada por um especialista, é muito mais complicada. A criança vem sofrendo com agressões até mesmo por parte de pais ou parentes próximos, como é caso de avôs, tios, primos e pessoas que fazem parte do círculo de amizade da família.  A violência sexual sofrida por tantas crianças brasileiras vem crescendo muito nos últimos anos.

De acordo com informações da Organização Internacional do Trabalho (OIT), no Brasil ocorrem, por ano, cerca de 100 mil casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. No entanto, infelizmente, menos de 20% desses casos chegam a ser notificadas pelas autoridades.
No dia 19 de novembro foi instituído o  Dia Internacional de Prevenção à Violência Sexual Contra Criança e Adolescente. A data foi criada em 2000, e está ligada à outra muito importante: o Dia Internacional de Luta pelos Direitos da Criança, 20 de novembro, comemorado desde 1959. Em  1960 a Organização das Nações Unidas (ONU) oficializou a Declaração dos Direitos da Criança por meio da Assembleia Geral das Nações Unidas.
 A criação do dia tem como objetivos  contribuir para aumentar  os programas de prevenção e para criar e sustentar medidas de proteção das crianças.
No Brasil, a data estabelecida para o Dia Nacional de Luta Contra o Abuso e Exploração Sexual é 18 de maio. A data foi instituída em 2000, pela Lei 9.970. Foi escolhida em homenagem a Araceli Cabrera, uma garotinha de apenas oito anos que foi violentada e assassina no Espírito Santo.
Se alguém souber de casos de abuso e exploração sexual de  crianças e adolescentes pode denunciar por telefone, não precisa se identificar para fazer a denuncia. 

Para denunciar ligue para o número 100. Também é possível fazer uma denuncia para o  “Disque 100”  pelo e-mail: disquedenuncia@sedh.gov.br   

Confira o site:  Disque Denúncia Nacional DDN 100

Confira mais informações  clicando aqui


Exploração sexual e abuso sexual
Fonte: turminha.mpf.gov.b

Você sabe a diferença entre exploração sexual e abuso sexual?
A principal diferença entre esses dois tipos de crime é o interesse financeiro que está por trás da exploração. Podemos dizer que a exploração e o abuso sexual  fazem parte de um conjunto de condutas exercidas (com ou sem consentimento da criança ou adolescente) por uma pessoa maior de idade, que usa seu poder ou autoridade para obter favores ou vantagens sexuais.

Abuso Sexual
Pode ser  dentro ou fora da família. Acontece quando o corpo de uma criança ou adolescente é usado para a satisfação sexual de um adulto, com ou sem o uso da violência física. Desnudar, tocar, acariciar as partes íntimas, levar a criança a assistir ou participar de práticas sexuais de qualquer natureza também constituem características desse tipo de crime.

Exploração sexual comercial
É o uso de crianças e adolescentes em atividades sexuais remuneradas (ou seja, em troca de dinheiro). Alguns exemplos são a exploração no comércio do sexo, a pornografia infantil e a exibição em espetáculos sexuais públicos ou privados.
Nesse tipo de violação aos direitos infanto-juvenis, o menino ou menina  explorado passa a ser tratado como um objeto sexual ou mercadoria. Assim, ficam sujeitos a diferentes formas de violência, como o trabalho forçado.
Em outras palavras, a exploração ocorre quando a criança ou adolescente vende seu corpo porque foi  induzida a essa prática, seja pela situação de pobreza absoluta, pelo abuso sexual familiar ou pelo estímulo  ao consumo. Uma criança não tem poder de decisão para se prostituir, mas pode ter seu corpo explorado por terceiros, que obtêm algum tipo de lucro com isso. Portanto, não existe “prostituição infantil”, e sim exploração sexual comercial de crianças e adolescentes.


Livros  que  abordam abuso sexual infantil

Divulgação
Segredo segredíssimo,  Odívia Barros.
Utiliza  uma linguagem fácil e usual entre as crianças, tratando o assunto polêmico da forma como pode ser compreendida pelos leitores, sem traumatizar. Aborda  elementos próximos a uma situação real de abuso sexual e ensina alguns passos básicos na prevenção do problema, tais como reconhecer a situação indesejada e contar para as pessoas de confiança o que está se passando, colocando um fim ao segredo indesejado.



Divulgação



Invasão do Planeta Carinho, Valéria Fonseca.
Para ajudar crianças e adultos a lidar com esse problema e como evitá-lo.




Divulgação
O Segredo da Tartanina é recomendado para uso didático ou clínico em instituições públicas e privadas, por meio de assistência especializada ou voluntária. Criado por psicólogas clínicas, este livro é fruto de anos de experiência profissional no atendimento a vítimas de abuso sexual. Com abordagem lúdica e interativa, adultos e crianças acompanham a história de Tartanina, uma pequena tartaruga vítima de agressão, servindo-se dessa analogia para fomentar uma conversa franca e elucidativa sobre este tema tão crítico.





Confira também nossa postagem sobre:


Campanha mundial tem 19 dias de ativismo 
para prevenção de violência contra criança
e adolescente.











Nenhum comentário:

Postar um comentário