Dia Mundial de Combate à Meningite

24 abril 2014 | Postado por Casinha da Cys

 A data é comemorada nesta quinta-feira, 24 de abril e marca uma série de ações por todo país. A meningite é uma inflamação da meninge, membrana que recobre o cérebro e a medula espinhal. A doença pode ser causada por vírus,  bactérias ou fungos. A manifestação da doença na versão bacteriana, causadora da meningite C, é a forma mais grave e pode provocar a morte em poucas horas. 
No Dia Mundial de Combate à Meningite acontece no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana uma série de atividades: Palestras,  debates, shows e vacinação que marcam o dia de combate à doença. O evento é aberto ao público com início às 9 horas e vai até às 18 horas. 
O evento faz parte da campanha batizada  “De Mãos Dadas Contra a Meningite", promovida pelo Instituto Pedro Arthur uma organização brasileira que trabalha no combate à meningite e que tem como símbolo a luta de jovem Arthur.

De acordo com informações mencionadas no site da instituição, o garoto apresentou  um caso raro da doença. A  bactéria danificou a medula espinhal sem afetar o cérebro, como sequela ele sofreu paralisia dos membros e do diafragma. As funções cognitivas do garoto não foram prejudicadas, diferentemente do que acontece com praticamente todas as pessoas acometidas pela doença. A meningite pode levar a uma vida vegetativa ou até mesmo à morte.
Para mais informações sobre a Instituição e sobre a Meningite acesse AQUI.

Informações sobre a meningite

A meningite é uma doença que consiste na inflamação das meninges – membranas que envolvem o encéfalo e a medula espinhal. Ela pode ser causada, principalmente, por vírus ou bactérias. O quadro das meningites virais é mais leve e seus sintomas se assemelham aos da gripe e resfriados. Entretanto, abacteriana – causada principalmente pelos meningococos, pneumococos ou hemófilos – é altamente contagiosa e geralmente grave, sendo a doença meningocócica a mais séria. Ela, causada pela Neisseria meningitidis, pode causar inflamação nas meninges e, também, infecção generalizada (meningococcemia). O ser humano é o único hospedeiro natural desta bactéria cujas sequelas podem ser variadas: desde dificuldades no aprendizado até paralisia cerebral, passando por problemas como surdez.
A transmissão se dá pelo contato da saliva ou gotículas de saliva da pessoa doente com os órgãos respiratórios de um indivíduo saudável, levando a bactéria para o sistema circulatório aproximadamente cinco dias após o contágio. Como crianças de até 6 anos de idade ainda não têm seus sistemas imunológicos completamente consolidados, são elas as mais vulneráveis. Idosos e imunodeprimidos também fazem parte do grupo de maior suscetibilidade.
A doença chega a matar em cerca de 10% dos casos e atinge 50% quando a infecção alcança a corrente sanguínea e é este um dos motivos da importância do tratamento médico. Febre alta, fortes dores de cabeça, vômitos, rigidez no pescoço, moleza, irritação, fraqueza e manchas vermelhas na pele (que são inicialmente semelhantes a picadas de mosquitos, mas rapidamente aumentam de número e de tamanho, sendo indício de que há uma grande quantidade de bactérias circulando pelo sangue) são alguns dos seus sintomas.
A doença meningocócica tem início repentino e evolução rápida, pode levar ao óbito em menos de 24 a 48 horas. Para a confirmação diagnóstica das meningites, retira-se um líquido da espinha, denominado líquido cefalorraquidiano, para identificar se há ou não algum patógeno e, se sim, identificá-lo. Em caso de meningite viral, o tratamento é o mesmo feito para as viroses em geral; caso seja meningite bacteriana, o uso de antibióticos específicos para a espécie, administrados via endovenosa, será imprescindível.
Geralmente a incidência da doença é maior em países em desenvolvimento, especialmente em áreas com grandes aglomerados populacionais. Tal constatação pode ser justificada pela precariedade dos serviços de saúde e condições de higiene e pela facilidade maior de propagação em locais fechados ou aglomerados. Por este último motivo é que, geralmente, a doença é mais manifestada no inverno – quando tendemos a buscar refúgios em locais mais fechados para fugirmos do frio.
Para a meningite, as vacinas mais utilizadas são a bivalente, a tetravalente e a monovalente, em menores de 2 anos. Entretanto, não existe ainda vacina para alguns sorotipos da doença.
Evitar o uso de talheres e copos utilizados por outras pessoas ou mal lavados e ambientes abafados são formas de se diminuir as chances de adquirir a doença. Manter o sistema imunológico fortalecido e seguir corretamente as orientações médicas, caso tenha tido contato com alguém acometido pela doença são, também, medidas importantes.
E lembre-se: nunca use remédios sem prescrição médica.

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE
A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde.



0 Comentários | Compartilhe este post | Marcadores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Colocamos sempre imagens para ilustrar nossas postagens, algumas imagens (fotos) são nossas, outras são dos locais que usamos como inspiração para nossos textos, mas que são creditados e há imagens também postadas aqui no blog de fontes diversas da Internet. Portanto, se alguma das imagens publicadas for de sua autoria e deseja que seja retirada ou que seja mencionada a fonte da imagem, entre em contato através do email: casinhacys@gmail.com, para que seja resolvida a questão da retirada da imagem ou publicado o nome do autor da imagem.
BLOG CASINHA DA CYS | TECNOLOGIA BLOGGER | COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA